Mais compartilhadas

sábado, 11 de maio de 2013

Brasil vive momento de "guerra" de palavras relacionadas à religião e sexualidade.

Brasil vive momento de "guerra"de palavras relacionadas à religião e sexualidade.
Nos últimos dias tenho acompanhado com algum receio a "guerra" de palavras relacionadas à religião e a sexualidade de cada cidadão.

Apesar da exagerada violência interna que se vive no Brasil, causada principalmente pelo tráfico de drogas, pelos assaltos, sequestros seguidos de mortes, entre outros diversos tipos de violência, o Brasil é um país considerado pacífico no que diz respeito às guerras civis internas ou guerras com outros países.

Mas no últimos dias tenho notado uma diferença, todos nós sabemos que existem muitos países que vivem em constates e intensas guerras por causa da "religião", espero eu que no Brasil a situação nunca chegue a esse ponto, cada um tem o livre arbítrio de escolher a religião e a opção sexual que bem entender.

Nos últimos dias tenho notado principalmente nas redes sociais diversas pessoas se manifestando contra esta ou aquela religião, postando inclusive trechos da bíblia para se valerem de alguma sabedoria, a "disputa" envolve também outro assunto muito delicado, que é a sexualidade ou opção sexual de cada cidadão. O mais importe é deixar bem claro que todos os cidadãos tem o direito de ser o que quiser, desde que não prejudique outrem.

O problema das redes sociais é que muitas pessoas publicam imagens ou textos sem saberem se de fato é verdade ou não. São divulgações de imagens chocantes, como por exemplo; de pessoas penduradas numa forca porque em tal país não se aceita a homossexualidade, publicações de textos onde um pastor ou padre agride determinada religião, seguidas de diversos comentários e ofensas, gerando até mesmo discussões pela internet até entre amigos que muitas vezes não partilham das mesmas opiniões.

Será que todas essas discussões começaram após as declarações do pastor Marco Feliciano ( Em 2011, Feliciano escreveu em sua página no Twitter que o amor entre pessoas do mesmo sexo leva "ao ódio, ao crime e à rejeição" e que descendentes de africanos são "amaldiçoados") essas declarações foram considerada por muitos com homofóbicas e racistas. Mas mesmo assim depois de muita polêmica e protestos, Marco Feliciano foi eleito presidente da Comissão de Direitos Humanos da Câmara.

Sinceramente não acho que todo esse mal momento relacionado com as religiões ou opção sexual de cada um, começou após tal acontecimento do pastor Marco Feliciano, esta situação serviu apenas para arrebentar a bomba que já estava com o pavio aceso há muito tempo. Outra realidade é que todas religiões são como qualquer entidade, há sempre um ou outro elemento mal intencionado, e o problema está na permanência ou não dessa maçã podre no cesto, muitas entidades optam pela permanência e ocultação dos fatos, manchando assim a imagem da entidade.

O mais engraçado é ver tudo isto acontecer num país como o Brasil, um país multirracial, com diversas culturas, costumes e crenças, será que depois de tantos anos dizendo que somos um país pacífico, vamos entrar numa fase decadente, repleta de preconceitos, acho bem que não e que o respeito pelo próximo impere sempre.