Mais compartilhadas

quarta-feira, 27 de março de 2013

Interdição do Engenhão, quem vai pagar o prejuízo.

Interdição do Engenhão, quem vai pagar o prejuízo.
O estádio Olímpico João Havelange, conhecido popularmente por Engenhão, foi interditado na última terça feira (26 de março) por tempo indeterminado, pelo prefeito da cidade do Rio de Janeiro, Eduardo Paes.

O prefeito do Rio, afirmou que tomou a decisão de interditar o estádio, depois de ser procurado pelo consórcio responsável pela construção do Engenhão, formado pelas empresas Odebrecht e OAS. Os responsáveis das empresas informou sobre "problemas estruturais de projeto" na cobertura do estádio, oferecendo riscos aos torcedores. "O problema da cobertura do Engenhão se arrasta desde a sua inauguração em 2007", afirmou o prefeito do Rio.

O Engenhão foi construído em 2007 para os Jogos Pan-Americanos do Rio e custou cerca de 380 milhões de reais, as obras do estádio foram iniciadas pela construtora Delta,  que abandonou a obra posteriormente, sendo assim o consórcio formado por Odebrecht e OAS assumiram a continuidade da construção do estádio.

Mais um exemplo de falta de organização dado pelo Brasil, como é possível um estádio tão novo e tão caro com um problema tão grave, aliás um problema que vem desde a sua inauguração como é possível, e o problema maior ainda está por vir, uma vez que o tempo de garantia dado pelas empresas responsáveis pela construção expirou no ano passado, e agora quem arcará com o prejuízo.

A notícia da interdição do estádio já chegou aos "ouvidos" do COI (Comitê Olímpico Internacional), isto porque o Engenhão está na programação para receber as competições de atletismo dos Jogos Olímpicos de 2016, mesmo assim a entidade demonstrou total confiança na preparação do Rio para o evento que acontecerá em 2016.

Mas e os atletas, os turistas e todas as outras pessoas que irão trabalhar no evento, será que eles se sentirão seguros? Acho que a interdição desse estádio demostra a falta de organização que há por todo Brasil, o inicio da preparação para os Jogos Olímpicos fica assim manchado por uma falha enorme, colocando em causa a competência para a realização do evento, porque a partir de agora muitas críticas irão surgir e que esta falha enorme sirva de exemplo, para que tal não aconteça mais.