Mais compartilhadas

segunda-feira, 11 de março de 2013

Congresso Nacional pagou R$ 6,7 milhões de reais em despesas médicas dos senadores e deputados.

Congresso Nacional pagou R$ 6,7 milhões em despesas médicas.
O Congresso Nacional Brasileiro gastou em 2012, uma verba equivalente a R$ 6,7 milhões de reais, para pagar as despesas médicas dos nossos ilustres senadores e deputados, vale a pena lembrar ainda que os ex-parlamentares nomeadamente ex-senadores e ex-deputados, também têm direito a esse bendito plano de saúde VITALÍCIO pago pelos cofres públicos do estado.

Até os parlamentares suplentes têm o direito ao plano de saúde vitalício, para isto, basta que eles tenham assumido por pelo menos seis meses o mandato como titular, a partir daí já ficam com o plano de saúde vitalício pago pelo Estado.

Os familiares dos senadores e deputados também têm direito ao plano de saúde, nomeadamente a esposa, os filhos e até mesmo os pais do parlamentar, desde que todos sejam considerados dependentes econômicos do senador ou deputado.

Mas que belo exemplo, num país onde a saúde pública é um caos, onde há falta de profissionais de saúde, péssimas condições de trabalho, sem falar da péssima remuneração auferida pelos mesmos, péssimo atendimento aos doentes, falta de equipamentos hospitalares, falta de medicamentos, enfim uma infinidade de falta de tudo, para no final das contas o governo gastar R$ 6,7 milhões de reais com despesas médicas dos Srs. senadores e deputados.

Só o Senado gastou uma verba total de R$ 5,3 milhões de reais, ou seja R$ 3,4 milhões de reais para pagar as despesas de saúde dos senadores que estão exercendo os mandatos, a esse valor acrescem mais R$ 1,9 milhão de reais para também pagar as despesas médicas dos 107 ex-senadores. A Câmara dos deputados gastou uma verba total de R$ 1,4 milhão de reais com as despesas de saúde dos deputados.

O pagamento da verba para os senadores é feito através do reembolso, o parlamentar escolhe o médico ou a entidade que pretende frequentar com a livre escolha de ser em qualquer lugar do país, paga o tratamento médico, e em seguida envia o recibo para o Senado para proceder o respectivo reembolso.

Com um plafom generoso, o plano de saúde dos senadores em exercício de mandato é ilimitado, podem gastar quanto quiserem e serão reembolsados no ano a seguir, já os ex-senadores têm as regalias reduzidas e podem gastar apenas R$ 32.958,12 reais por ano.

O plano de saúde também pode ser usado fora do Brasil caso uma Comissão Diretora autorize, ou se caso algum parlamentar estiver em uma viagem oficial fora do país e necessite dos cuidados médicos.

Para se justificar, o governo diz que as despesas de saúde e seus respectivos reembolsos aos parlamentares, devem-se ao fato dos mesmos terem uma média de idade acima dos 50 anos, sem falar do grande número de rotatividade dos parlamentares que não são reeleitos.

Com uma saúde pública onde os médicos praticamente escolhem que morrerá primeiro, para dar a vaga a outro doente , os nossos políticos usam e abusam com regalias ilimitadas.