Mais compartilhadas

quinta-feira, 28 de fevereiro de 2013

Fim do 14º e 15º salários para deputados e senadores.

Fim do 14º e 15º salários para deputados e senadores.
Até que enfim uma boa notícia para o povo brasileiro, a Câmara dos Deputados aprovou o fim dos pagamentos dos 14º e 15º meses de ordenados para os deputados e senadores.

Mas como tudo na vida não é perfeito, em se tratando de política pior ainda, o fim dos privilégios não são por completo, isto porque os parlamentares passam a receber os 14º e 15º meses de ordenados, ainda no primeiro e no último ano de mandato, tanto para os deputados que ficam quatro anos, quanto para os senadores que ficam oito anos no Congresso Nacional.

A justificativa encontrada para a permanência do pagamento no início e no fim dos mandatos dos políticos, é porque eles têm despesas ao se mudarem para Brasília.

Os votos a favor da nova lei foram por unanimidade, votaram 476 deputados que estavam presentes durante a sessão, sendo que ao todo são 513 deputados no Congresso.

O documento agora segue para o Congresso Nacional, onde será promulgado pelo seu presidente, o senador Renan Calheiros (PMDB-AL), isto porque o projeto foi aprovado sem sofrer nenhuma alteração.

O salário mensal de um deputado é de aproximadamente 26.723,13, sem contar algumas outras regalias nomeadamente, plano de saúde, passagens aéreas entre outras. Isto significa que cada deputado ou senador deixará de receber 53.446,26 por ano, poupando assim milhões aos cofres públicos.

Para sermos mais exatos, esta nova lei fará com que o país poupe em média pelo menos, 30,1 milhões de reais com o pagamento dos tais subsídios aos parlamentares, estes cálculos foram feitos tomando como base as despesas efetuadas com os pagamentos dos mesmos subsídios dos parlamentares no ano passado ( 2012 ).

O mais importante de toda essa "vitória do povo", é que futuramente não apareça nenhuma medida compensatória para os nossos parlamentares, voltando tudo como estava antes ou senão pior, e se possível eliminar de uma vez o pagamento dos mesmos subsídios no primeiro e no último ano de mandato.