Mais compartilhadas

sábado, 26 de janeiro de 2013

Egito - 21 torcedores de futebol condenados à morte.

Egito - 21 torcedores de futebol condenados à morte.
O supremo tribunal penal do Egito, condenou a pena de morte 21 torcedores de futebol, pelo alegado envolvimento na tragédia ocorrida durante uma partida de futebol entre os clubes do Al-Masry e do Al-Ahly. A batalha campal entre os simpatizantes dos dois clubes originou na morte de 74 pessoas durante os confrontos, outras 254 pessoas ficaram feridas.

O confronto entre os torcedores das duas equipes aconteceu no dia 01 de Fevereiro de 2012, na cidade de Port Said - Egito, segundo informações noticiadas na altura, depois da vitória do Al-Masry sobre o Al-Ahly por 3 X 1, os torcedores do Al-Masry entusiasmados pela vitória sobre o atual campeão nacional, invadiram o gramado e perseguiram os jogadores da equipe visitante, porém a torcida do Al-Ahly resolveu revidar e também invadiu o gramado, dando início a uma terrível batalha sangrenta.

Na altura o notícia repercutiu em todo o mundo, de forma muito negativa como é óbvio, por isto e por motivos de segurança a Federação do Egito cancelou temporariamente o campeonato de futebol no país, no ano passado.

Manuel José, treinador de nacionalidade portuguesa que na altura treinava o Al-Ahly, esteve presente no confronto naquele dia, ele declarou que foi um verdadeiro caos, ele próprio foi agredido com socos e pontapés, mas apesar das agressões não sofreu ferimentos graves, o treinador posteriormente acabou por sair da equipe sem divulgar os verdadeiros motivos à imprensa.

A pena de morte para os acusados porém já originou novos confrontos e mortes, após vir a público o conhecimento da sentença, os familiares das vítimas e dos acusados evolveram-se em mais um confronto onde a polícia foi chamada para intervir e acabou resultado na morte de 26 pessoas, mais ou menos outras 200 pessoas ficaram feridas. Dois dos mortos eram policiais.

A sentença de pena de morte ainda não é definitiva, pois o presidente do supremo tribunal penal ordenou que a sentença dos 21 acusados seja enviada para o Grande Mufti (autoridade máxima religiosa do Egito), esta autoridade é quem determinará a última palavra sobre as penas de morte.

Esta foi apenas a determinação de uma das primeiras sentenças, mesmo assim ainda não é definitiva, os outros 52 acusados continuarão presos até ser conhecida a sentença final de todos os envolvidos.