Mais compartilhadas

quinta-feira, 17 de maio de 2012

Pílulas à base de carne de crianças.

As autoridades da Coreia do Sul, apreenderam 17.451 comprimidos, contra bandeados da China, fabricados à base de carne de bebés e fetos.

Pílulas à base de carne de crianças.
Segundo as autoridades da Coreia do Sul, entre algumas pessoas encontra-se enraizada a ideia de que esses comprimidos, serão capazes de curar doenças, assim como aumentar a resistência humana e melhorar o desempenho sexual. Nas análises feitas, foram encontradas bactérias multirresistentes e outros produtos prejudiciais à saúde.

De acordo com o Jornal The San Francisco Times, os testes feitos nas pílulas mostram que elas contêm 99,7% de carne humana em sua composição. Os resultados afirmam que a carne usada na fabricação é, realmente, de bebês.

Pensa-se que o contrabando tem origem na China, trabalhadores corruptos da área da saúde indicam as agências médicas quando um feto é abortado ou uma criança nasce morta.

As companhias farmacêuticas chinesas, compram os corpos e conservam-nos em câmaras refrigeradoras e depois entregam-nos as clínicas. Nas clínicas os corpos são desidratados em fornos microondas. Depois de esfolados, os corpos são transformados em pó, misturados com ervas e transformados em comprimidos.

Desde agosto de 2011 até agora, já foram interceptadas 17.451 cápsulas pela alfândega. A maioria das cápsulas vieram de cidades do nordeste da China, como Jilin e Yanji, e eram destinadas a clientes sul-coreanos, de acordo com a Alfândega. Vários estavam escondidos em pacotes contendo medicamentos “regulares”.Por conta disso, as autoridades da Coreia do Sul aumentaram o controle dos voos provenientes de “certas regiões chinesas” e realizam uma análise muito mais rigorosa das bagagens, disse Kim Soo-Yeon.

O funcionário da alfândega, Kim Soo-Yeon, informou à agência francesa de noticias AFP que introduzir estes comprimidos no país viola a lei que proíbe produtos que “ferem a dignidade humana e os valores”.

A Alfândega também alertou para o perigo de bactérias e outros organismos prejudiciais que podem estar presentes nessas pílulas. Segundo o jornal Chosun Ilbo, essas cápsulas são vendidas entre 40.000 e 50.000 wons cada (de 27 a 34 euros).

As autoridades de saúde da Ásia tem consciência de que é difícil controlar o tráfico de pílulas feitas com fetos. Elas são facilmente comercializadas para o mundo todo por meio da internet, e são procuradas por pessoas doentes e desesperadas por uma cura. 

Existe uma grande demanda por medicina alternativa chinesa e os remédios incluem até chifre de rinoceronte. Historicamente, algumas pessoas na China consomem placenta humana para aumentar a quantidade de sangue no corpo e melhorar a circulação.

Apesar da descoberta desagradável da chamada pílula da juventude, para evitar conflitos diplomáticos, as autoridades sul-coreanas recusaram-se a confirmar de onde vêm as cápsulas e a origem dos corpos.

Em 2011, um documentário da TV SBS, da Coréia do Sul, revelou que hospitais e clínicas abortistas estatais chinesas participam diretamente do macabro negócio, informando as empresas da morte de um bebê em decorrência de parto ou de aborto.