Mais compartilhadas

sexta-feira, 28 de setembro de 2012

O retrato da austeridade.

Salários vão baixar e a produtividade vai estagnar em Portugal nos próximos 2 anos.
As remunerações dos trabalhadores vão cair e a produtividade do trabalho vai manter-se idêntica este ano e no próximo em Portugal, segundo as previsões de primavera da Comissão Europeia, hoje divulgadas.


A Comissão prevê que as remunerações 'per capita' reais (isto é, ajustadas para a inflação) dos trabalhadores caiam 6 por cento este ano e 1,9 por cento no próximo. Caso se concretizem estas previsões, serão quatro anos consecutivos de redução das remunerações do trabalho.

Este ano, só na Grécia é que haverá uma redução maior nas remunerações, segundo a Comissão.

Quanto à produtividade do trabalho (o PIB dividido pelo número de trabalhadores empregados), deverá estagnar este ano e no próximo.

A Comissão Europeia espera que o "motor" da atividade econômica nos próximos dois anos seja o setor exportador. No entanto, "apesar de melhorias recentes, a perda de competitividade pelo preço no exterior durante a última década ainda não foi invertida".

A recuperação de competitividade das exportações será então obtida graças à redução dos custos de trabalho, e não a um aumento de produtividade.

Nas suas previsões de primavera, a Comissão prevê que a economia portuguesa encolha 3,3 por cento este ano e cresça 0,3 por cento em 2013.