Mais compartilhadas

quinta-feira, 15 de novembro de 2012

Greve Geral Ibérica acaba em violência.

Greve Geral Ibérica acaba em violência.

Mais uma vez o povo português saiu às ruas para mais uma manifestação contra a política de austeridades imposta pelo governo do Sr. Primeiro Ministro Pedro Passos Coelho.

Na Espanha, o povo espanhol também foi para as ruas protestar contra a mesma política de austeridade imposta pelo primeiro Ministro Mariano Rajoy, que por sua vez apresentou um orçamento para o ano que vem repleto de cortes nas despesas públicas.

Na Grécia também não foi diferente, também houve manifestações onde os manifestantes exibiam bandeiras de Portugal e Espanha como forma de solidariedade e dizer que também estão juntos a lutar pelas mesmas causas, ou seja, contra a política do governo em cobrar do povo uma dívida feita pelos governos anteriores.

Em Portugal a manifestação terminou da pior maneira possível, com diversos confrontos entre a polícia e os manifestantes.

Tudo começou quando o sindicato organizador da greve (CGTP) deu por encerrada a manifestação, isso por volta das 17:00 horas, alguns manifestantes continuaram em frente a Assembléia da República (sede governo) onde escreveram palavras de ordem e começaram a gritar "os ladrões então lá dentro e a polícia está cá fora".

Os manifestantes começaram a apedrejar a polícia, com pedras que eram retiradas da calçada e arremessar balões de tintas. Os grevistas entretanto derrubaram as grandes de proteção e avançaram sete ou oito degraus das escadarias da Assembléia da República.

Através de um megafone, um policial avisou caso não parassem com o apedrejamento e arremessos de balões de tinta, a polícia iria avançar e foi o que de fato aconteceu, houve muita pancadaria e violência, o saldo negativo de todo tumulto foi de 7 pessoas presas por crime de desobediência e 48 feridos, entre eles 21 são policiais e 27 são manifestantes.

O certo é que ninguém gosta quando as greves acabam em violência, mas por outro lado as pessoas já estão a viver nos limites das condições, a carga fiscal e os cortes nos subsídios estão ficando cada vez mais insustentáveis, o desespero das pessoas está chegando ao extremo que várias pessoas já se suicidaram devido a fatores desencadeados pela crise financeira. Na Espanha, uma senhora se jogou do 4º andar de onde morava, depois de ter recebido uma ordem de despejo, segundo informações o governo espanhol publicou uma lei que dá direito a ordem de despejo pelos bancos depois de dois anos de falta de pagamentos das prestações da casa.

A crise financeira está unindo cada vez mais os trabalhadores europeus e cada vez mais temos vistos manifestações em simultâneo nos países em crise, é caso para se dizer que o povo unido jamais será vencido. Dia 14 de Novembro ficou conhecido e apelidado como o dia da Greve Ibérica devido as manifestações que ocorreram em Portugal e Espanha onde também se juntou a Grécia.

Em meio a um dia bastante conturbado devido a greve geral, tanto a nível dos transportes públicos, quanto a nível das escolas e diversas repartições públicas fechadas, muitos políticos deram algumas declarações no decorrer do dia e umas declarações que mais chamou-me a atenção, foram as declarações do Sr. Presidente da República Cavaco Silva, quando um repórter questionou-o sobre a greve, ele declarou que ele os funcionários do gabinete dele tinham ido trabalhar e que ele inclusive receberia a visita do Presidente da Colômbia, ironia ou insólito seria se ele também tivesse aderido a greve, o que significaria que ele próprio não concordava com a política imposta pelo governo dele.