Mais compartilhadas

terça-feira, 24 de janeiro de 2012

Esta crise financeira ainda vai culminar na III Guerra Mundial.

news365mundo.com
É cada vez maior o clima de tensão sobre a crise financeira entre os países da zona euro.

Os países mais afetados pela crise financeira como Grécia, Portugal e Espanha estão mergulhados numa crise que parece não ter fim e como consequência não param de criar novas medidas de austeridades.

O caso da Espanha é menos pior, a crise por lá ainda não atingiu proporções maiores, pois é um país com maior dimensão tanto em recursos naturais quanto em riquezas a nível empresarial o que ajuda muito, mas o setor imobiliário está quase falido, devido a redução dos créditos tanto por parte dos bancos quanto da população em geral.

O caso da Grécia talvez seja um dos piores principalmente porque a maior fonte de renda é o turismo e com a onda de violência que se tem visto provocado pela turbulência no setor financeiro, outro problema grave é que a grande maioria da população é funcionário do setor público e como o país não tem capital para financiar as contas públicas tudo fica muito mais difícil. Há dias, vi uma reportagem que dava conta de que crianças estão sendo abandonadas nas instituições, houve o caso de uma mãe que deixou uma criança pela manhã numa creche e não voltou mais para levá-la, mais tarde os funcionários descobriram um bilhete no casaco da mesma criança explicando a situação da família que não tinha condições de ficar com o filho, é lamentável.

Em Portugal o cenário também não é dos melhores, os transportes públicos na sua grande maioria, praticamente todos os meses há uma paralisação ou greve como forma de protesto ou revindicação dos direitos do trabalhador, recentemente uma das maiores empresas públicas de eletricidade (EDP) do país foi privatizada com  a venda de capitais para uma empresa Chinesa.

Devido ao fato do FMI ter financiado uma certa quantia de capital para Portugal pagar as dívidas, o governo não para de criar medidas de austeridades, um exemplo delas foi a retenção por parte do governo de metade do 13º ordenado de 2011 de todos os funcionários do país, sejam eles de empresas públicas ou privadas. E para o ano de 2012 ninguém sabe se receberá os subsídios de férias e o 13º ordenado, sem falar dos impostos que não param de subir, bem como os serviços públicos nomeadamente as consultas nos hospitais e postos de saúde que em certas situações duplicaram ou até mesmo dobraram o preço.

A cada dia é maior o número de imigrantes que se tem retornado aos países de origem, os brasileiros e os angolanos são as duas etnias que mais se tem retornados aos seu países de origem devido á boa fase de crescimento na economia desses países.

Recentemente o primeiro-ministro de Portugal sugeriu aos próprios portugueses que imigrassem como forma de combater a crise, mas por este cometário recebeu duras críticas da oposição e como era de esperar também da população portuguesa.

Durante esta semana foi a vez do Presidente da República de Portugal cometer uma enorme "gafe" ao publicar numa rede social que a sua reforma não daria nem para pagar as despesas, vale lembrar que ele recebe mais de 10.000,00€ de reforma. 

A população reagiu muito mal a essa situação e o criticou fortemente e sem piedade também nas redes sociais.

Em fim a turbulência na Europa continua forte e feia, acredito que basta um país ir mesmo a bancarrota e seus governantes dizerem que não vai mais pagar as dívidas ao FMI ou ao Fundo Comunitário Europeu, outros países também endividados alinharam na ideia e com certeza desencadeará uma III GUERRA MUNDIAL.

Esperamos todos que tal não aconteça.